A Ética do respeito na escola

Esta semana fui surpreendido com uma grande quantidade de pais numa reunião realizada no Colégio Julia Lopes onde tive o prazer de ministrar uma palestra organizada pela competente professora e mediadora Meire com o tema “A ÉTICA DO RESPEITO NA ESCOLA”.
Confesso que fiquei muito feliz em ver tantos pais interessados na vida de seus filhos. Isso mostra que existe uma grande possibilidade de fazermos a diferença nesta cidade e principalmente no futuro e na vida dessas crianças e adolescentes. Por tudo isso quero fazer um breve comentário desta tão bacana palestra.
“A ÉTICA DO RESPEITO NA ESCOLA”.
A ética é o instrumento fundamental para a instauração de um viver em conjunto. Ela revela que nossos valores têm origem histórica do convívio e da família. O significado está ligado ao bom caráter, as boas intenções e as boas ações. O filosofo Marcio Cortella simplifica a ética como o conjunto de valores e princípios que utilizamos para decidir 3 grandes questões da vida... quero, posso e devo. No que diz respeito a vida e a conduta é certo que nem professores, nem pais, nem alunos e ou nem qualquer cidadão deve desrespeitar estas regras básicas de “quero, posso e devo”, porque, nem tudo que queremos – podemos, nem tudo que podemos – devemos e nem tudo que devemos – queremos, ou seja, precisamos ser éticos para viver bem.
Os princípios universais estão baseados no amor, no respeito, na tolerância, na sinceridade, entre outros, e são esses quem formam nossos valores. Em contrapartida penso que muitos valores acabaram sendo filhos de seu tempo e de seu ambiente, ou seja, muitos valores são forjados por outros conceitos e princípios que são próprios da família ou do próprio convívio.
Vamos deixar tudo isso num linguajar mais simplificado e ir direto ao ponto. “A ÉTICA DO RESPEITO NA ESCOLA” está cada vez mais difícil. Alguns até podem discordar, mas, são os valores que estabelecem nossas atitudes. E hoje encontramos muitos que não mostram nenhum tipo de valor universal, e, infelizmente isso diz muito sobre o tipo de família que esta pessoa possui.
Na década de 70 os pais eram grandes aliados da escola e formavam uma parceria muito boa, mas o declínio dos valores fez com que o novo século experimentasse uma inversão desses valores na educação, onde os pais se voltaram contra os educadores. Não parou por aí, pois, nos dias atuais temos uma grande massa de crianças e adolescentes desassistidos pelos pais ou responsáveis e os resultados estão cada vez mais deprimentes. Altos índices de repetência, evasão escolar em grande escala, drogadição cada vez mais cedo, gravidez no início da adolescência, baixo nível de aproveitamento e excessivos números de faltas. O curioso nisso tudo é que nem a escola e nem os responsáveis sabem porque isso acontece.
Com a falta de RESPEITO, A IMPACIÊNCIA e A INTOLERÂNCIA abriu-se uma porta para um convívio ruim e desenfreado, onde nem os pais ou responsáveis e nem a escola e os educadores conseguem ter o controle da situação. Portanto, o que precisamos realmente é DIALOGAR, tratar o assunto como prioridade, uma vez que, se trata de pessoas que amamos muito, “filhos”.
A escola precisa dos pais ou os pais da escola? Afinal de quem é a obrigação de educar? Muito se confunde a esta questão, pois, a escola se transformou em um deposito de crianças onde pais furiosos cobram de educadores a responsabilidades que é única e exclusiva dos pais. A escola faz escolarização e cabe aos pais dar a educação. Quando isso se tornar claro para esta nova geração de pais que não tiram os olhos do celular e, se perdem em seus próprios valores, teremos então uma imediata intervenção na educação e escolarização. E a eficácia acontecerá naturalmente quando cada um desempenhar o seu papel.
Nunca será tarde para recomeçar. Não existe caso perdido. Não existe no amor a palavra desistência. Talvez neste momento você pense que o tempo passou rápido demais e faria tudo diferente. Saiba que este é o momento certo para cuidar de seu neto, de tirar o filho das drogas, de se retratar com a família e de fazer tudo diferente.
Pais precisam ser presentes e não dar presentes afim de compensar a ausência. Pais precisam acompanhar seus filhos e conhecer suas dificuldades e limitações. Pais precisam ajudar, auxiliar, corrigir, sorrir, interagir, cuidar, brincar, amparar, proteger, acompanhar e acima de tudo ser “pai”. O maior valor de todos é o amor e é ele que nos torna INDESISTÍVEIS, portanto, lembre-se que quem ama educa!... peça o catalogo de palestras gratuitas para escola, ong’s, igrejas, e outros de Gilson Biondo pelo whatsapp (11) 99119 3030.

Tenha um dia abençoado!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CONHECENDO MELHOR A SÍNDROME DA ALIENAÇÃO PARENTAL

O QUE ACONTECE DENTRO DA ESCOLA? Seu filho está seguro?

Os filhos não precisam de Super-heróis, eles precisam de pais verdadeiros!