RAPTO DE CRIANÇAS: MITO OU VERDADE?

A cidade está apavorada pela presença ativa dos supostos sequestradores de crianças. Circula nas redes sociais e no WhatsApp muitos áudios e mensagens afirmando que aconteceu com um conhecido, ou conhecido do conhecido. Mas, será mesmo que tudo isso é verdade?
Em diversas cidades os boatos são os mesmos e incorre que as crianças são levadas para comercialização de órgãos, no entanto, em outras oportunidades já se falou muito sobre sequestro por dinheiro, exploração sexual, adoção ilegal, entre outros.

Para quem não se lembra, em meados dos anos 90 muito se falou de uma gangue composta de 5 pessoas, onde, um homem se vestia de palhaço e uma mulher de bailarina. Faziam aparições em frente as escolas e atraia as crianças com doces e balas para frente de uma Kombi branca e na sequencia levavam as crianças para retirada de órgãos. Apesar dos relatórios policiais e nenhuma queixa de desaparecimento de crianças, mesmo assim, haviam muitas pessoas que afirmavam terem visto a gang em ação. Por fim, o que se sabe é que nunca houve um registro parecido com os casos descritos. Contudo, muita confusão e perigo de uma tragédia maior onde envolveu muitas cidades da região.

Quem não se lembra da mulher que foi espancada até a morte por ter sido confundida com uma sequestradora de crianças? Isso na frente de muitas pessoas que não tomaram partido, a não ser, de filmar o ocorrido. Lamentável, pois, boatos podem ter um final trágico e na maior parte das vezes cruel.

E hoje nos deparamos com as mesmas descrições do já se viu e ouviu, mas, como Conselheiro Tutelar da cidade de Osasco onde houve fortes indícios dos tais roubos, sequestros, rapto de crianças, nunca nos chegou nenhuma denúncia ou tomamos conhecimento de casos desta monta. Conversando com alguns amigos que fazem parte do departamento de direitos humanos da cidade de Osasco também afirmam não ter conhecimento de tais casos. Falando com um delegado seccional da cidade disse que muitas vezes por um caso isolado tudo se transforma numa grande falácia. Em uma pesquisa junto ao departamento de desaparecidos da prefeitura de Osasco, fui informado que “não existe uma criança se quer” nos registros de desaparecidos da cidade. Confira no site http://www.desaparecidos.osasco.sp.gov.br

Sobre tudo, não quero fazer o papel de defensor ou acusador e afirmar que existe ou não sequestradores, raptores e ladrões de crianças. O que sabemos é que se tratando de crianças e adolescentes todo cuidado é pouco. Sabemos também que existem sim tráfico de órgãos, sequestro e rapto de crianças, exploração sexual, trabalho infantil e muita maldade, ainda que não seja na proporção que estão dizendo. Entretanto, como Conselheiro Tutelar faço questão de deixar o alerta e dizer que o que nos resta é tomar alguns cuidados e seguir algumas recomendações:

1.      Quando for levar seu filho à escola, entregue-o somente ao monitor da escola na entrada.
2.       Esteja sempre de olho em tudo e em todos os lugares, parques, shopping, passeios e onde exista grande concentração de pessoas, mesmo que a criança já seja maior, ainda lhe falta discernimento para certas coisas.
3.       Sempre oriente seu filho a andar em grupo em qualquer trajeto e longas caminhadas.
4.       Fale aos filhos que não aceitem convites de estranhos para entrarem em carros, mesmo que ofereçam doces ou sorvetes.
5.       Portas e travas de carros sempre fechados.
6.       Toda criança deve saber seu endereço, telefone, nome dos pais, ou responsáveis, ou de quem vai busca-la na escola.
7.       Ensine seus filhos a não aceitarem nada de estranhos e nem darem atenção a eles.
8.       E o principal é tirar o RG desde bebe, pois, a impressão digital não muda.
Espero que a colune tenha ajudado. Se necessitar de orientações meus contatos de WhatsApp e redes sociais estão no site www.gilsonbiondo.com.br

Excelente dia! Gilson Biondo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CONHECENDO MELHOR A SÍNDROME DA ALIENAÇÃO PARENTAL

O QUE ACONTECE DENTRO DA ESCOLA? Seu filho está seguro?

Os filhos não precisam de Super-heróis, eles precisam de pais verdadeiros!