O QUE OS FILHOS ESPERAM DOS PAIS
Havia uma criança de onze anos que enfrentava grandes dificuldades de relacionamento com seus pais. Ambos tinham que trabalhar por conta das necessidades e por sempre almejarem uma vida melhor. Acontece que a criança se sentia sozinha e os cuidados dos avós eram distantes. É compreensível que haja muitas necessidades no seio familiar e que esses pais tinham que se desdobrar para arcar com todos os compromissos, no entanto, não percebiam o quanto o filho estava sofrendo.

Certa vez, uma das coordenadoras da escola percebendo que o comportamento da criança estava diferente decidiu intervir. Ao decorrer dos dias foi se aproximando e conquistando aos poucos a confiança da criança, e entre tantas conversas chegou o dia em que abriu seu coração, e contou o quanto se sentia sozinho e como sofria a ausência dos pais. Imediatamente a coordenado sentiu que tinha que fazer algo para ajudar, e encorajou a criança a contar aos pais como se sentia. A criança cheia de esperanças aceitou.

A coordenado mais do que depressa marcou uma reunião com os pais da criança. Sentados à mesa começaram o bate papo, a coordenadora expos a situação e explicou que a criança há algum tempo vinha tendo diversos comportamentos fora do normal e que em seus desabafos contou que sentia muito a ausência dos pais entre outras coisas. Ao terminar de fazer as citações e pontuar os problemas, encorajou a criança a falar o que sentia e como se sentia em relação aos pais.

A criança fitando os olhos ao longe abriu seu coração dizendo o quanto tinha a necessidade dos pais por perto. Disse que sentia falta desde a companhia, fazer a lição em conjunto, até ao preparo de seus alimentos. Os pais ouviram tudo que a coordenadora e o filho disseram até que tudo foi colocado para fora.

A mãe após ouvir atentamente tudo que foi dito, ficou em silencio por alguns segundos, olhando para a criança segurou na manga da sua blusa e em seguida disparou a dizer:
- Está vendo esta blusa que você está usando? Está vendo este tênis que você está usando? Sabe aquele vídeo game que te dei? E assim por diante, foi citando diversos itens, até que em alta voz terminou – Acabou tudo para você! Disse ainda que sairia do trabalho para cuidar dele, mas, que não receberia nunca mais nenhum presente por conta disso. E diante da coordenação os pais se propuseram a resolver o problema. Contudo, passado em torno de 2 meses a família mudou a criança de escola.

Alguns anos depois a coordenadora teve más notícias sobre o desenvolvimento daquela criança, pois, soube que estava sendo usado por más pessoas no tráfico de drogas. Nas notícias mais recentes se soube então que o rapaz estava preso. Infelizmente esta não é uma história fictícia, pois, aconteceu na cidade de Osasco, assim, como acontece em muitos lugares do país.

Moral da história... quando os pais não dão atenção aos filhos sempre terá alguém que estará disposto a dar, e este alguém pode ser um aliciador, um traficante, um pedófilo, etc. Há muitas coisas nesta vida para serem conquistadas, mas, nada vale mais que o bem-estar e a segurança de nossos filhos. Vale a pena trabalhar muito para ter uma vida melhor e conquistar o conforto que a vida merece, mas, não levaremos nada desta vida. Será que realmente todo esforço por bens materiais tem valido a pena?

Há muitas implicações por conta de condutas e ausências. Em meu gabinete no Conselho Tutelar tenho recebido casos diversos de conflitos familiares, e isso resulta em crianças e adolescentes sem referenciais e sem valores. E as consequências são aumento de adolescentes rebeldes, uso de drogas licitas e ilícitas, evasão escolar, gravidez na adolescência, entre tantas coisas.

Os filhos esperam que seus pais os corrijam quando estiverem errados, esperam que tenham um bom conselho, esperam que estendam as mãos para levantarem quando estiverem caídos, esperam que os incentivem quando quiserem desistir, espera que estejam presente para lhes dar segurança e acima de tudo que os possam os abraçar e dizer “eu te amo”.


Por fim, espero que esta coluna sirva de uma boa reflexão, pois, nem sempre o que estamos fazendo é o certo a fazer e nem sempre a forma que estamos educando nossos filhos é a maneira mais correta. 

Faça o melhor que puder para dar qualidade de vida a sua família, dialogue com seus filhos, faça programas familiares e esteja presente em todos os momentos por que isso fará uma grande diferença na vida deles e também no futuro. Que sua semana seja muito abençoada! 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CONHECENDO MELHOR A SÍNDROME DA ALIENAÇÃO PARENTAL

O QUE ACONTECE DENTRO DA ESCOLA? Seu filho está seguro?

Os filhos não precisam de Super-heróis, eles precisam de pais verdadeiros!