Os filhos não precisam de Super-heróis, eles precisam de pais verdadeiros!



Os filhos não precisam de Super-heróis, eles precisam de pais verdadeiros!
Escrito por:Gilson Biondo 


Eu cresci numa época muito boa e tive a sorte de ter um bom pai e que acima de tudo era um grande amigo. Por ser carreteiro passou longas jornadas pelas estradas deste Brasil a fora, mas, mesmo assim, foi um pai incrível. Minha mãe também representou a verdadeira mulher guerreira, sempre presente, lutando pelo ganha-pão e cuidando com excelência do nosso lar. Julgo ter sido uma pessoa de muita sorte de tê-los por perto nos momentos que mais precisei.

Na minha infância não tínhamos muitos brinquedos como nos dias de hoje, mas, nos divertíamos muito. Lembro-me dos super-heróis que também eram bem limitados, comparados aos dias atuais (risos). Eu adorava brincar com os incríveis bonecos medievais que tinham armaduras fascinantes. Ficavam horas admirando e falando sozinho enquanto na minha imaginação se travava uma batalha épica. Os super-heróis conhecidos como o Superman, Homem Pássaro, Batman, Aquaman entre outros, eram os mais disputados, e, independente do que pudesse acontecer, o bem sempre vencia o mal. Ainda que os vilões descobrissem as fraquezas e tentassem contra aquele herói, ele sempre vencia o problema e resolvia no final. E assim foram os tempos bons de criança.

Apesar de olhar para meus pais como super-heróis entre o prover, cuidar e proteger, eles eram muito mais do que isso, eram meus pais. Meu pai veio do interior sozinho para tentar a sorte em São Paulo e quando conseguiu alugar um cômodo trouxe a minha mãe e juntos conseguiram fazer com muita fé em Deus o impossível acontecer num tempo tão difícil. Formaram uma família e conquistaram tudo que estava a alcance de seus sonhos.

Pois bem, quero falar um pouquinho dos tempos atuais onde alguns desses valores foram invertidos. Eu sei que com a tecnologia e a modernização veio também a teoria da compensação. Onde vemos muitas pessoas argumentando e convencidos de que o maior prazer desta vida é dar aos filhos o que ela mesmo, nunca teve. Presentes, oportunidades, requintes, objetos, bens, entre tantas coisas que poderíamos citar. Assim, enxergam que seus filhos serão mais felizes dando de tudo e do bom e do melhor. É claro que querer dar o melhor aos que amamos não é uma coisa ruim, no entanto, tudo se torna fútil quando “dar o melhor” não passa de barganha ou compensação de ausência.

Como Conselheiro Tutelar posso afirmar que hoje temos o maior índice de adolescentes no envolvimento com drogas, alto índice de repetência, gravidez na adolescência, suicídio de crianças, entre outros. Mas, ao que podemos atribuir tudo isso? Não tenho duvido que isso seja o reflexo da desestruturação familiar que vem se agravando ao longo do tempo. Pais ausentes que não tem tempo para seus filhos. A perda do referencial de um pai ou de uma mãe. O desasistir dos filhos em seu crescimento, escolarização, amizades, etc. O abandono mesmo estando presente, ou seja, vivem no mesmo ambiente, mas, não tem dialogo, não se conhecem e não se entendem.

Sabe queridos (as) amigos (as) às vezes queremos ser grandes super heróis para nosso filhos e fazemos de tudo para parecermos assim. Grandes, fortes, inabaláveis e poderosos. Contudo será que não serias melhor ao invés disso sermos “pais”? Pais presentes e amorosos, pais que dialogam com seus filhos, pais que falham e que superam, pais que sentem medo e vencem limites? As crianças não esperam que você use uma capa ou tenha super poderes, mas, que você as busque na frente da escola, que participe de suas reuniões, que você diga “não” e “explique o porquê”, que você olhos nos olhos, que ouça suas historias e de atenção e importância, por fim, os nossos filhos precisam de pais que amam ser pais acima de dinheiro ou de qualquer presente caro. No meu caso, o que lembro do meu  herói é que foi um pai que quando veio do interior comia meio marmitex no almoço e guardava a outra metade para o jantar, quando não o seu pão com banana para saciar a fome e driblar as dificuldades. Uma mãe que sempre corrigiu quando necessário e que sempre foi presente tanto nas horas boas quanto nas horas mais difíceis que eu e minhas irmãs enfrentamos. Lembro de pais que erravam e que se redimiam de alguma forma dos seus erros, que tinham medos, mas, que conseguiam supera-los. Pais que acima de tudo eram humanos e de super nos ensinaram a ter fé, força e perseverança. Pais que nos deixaram um legado de amor, honestidade e caráter. Sou grato por tudo que aprendi e peço a ajuda de Deus para conseguir ser o que meus filhos precisam e esperam de mim como “pai”.

Eu não sei o que você tem sido para seus filhos, mas, basta você olhar para o comportamento, desempenho e atitudes deles que ali estará tudo que você ensinou. Lembre-se, nunca é tarde para recomeçar e nunca desanime, pois, você é, e sempre será, o responsável por este legado.  Tenha fé, força e perseverança que você conseguirá. Desejo um dia abençoado e deixo um agradecimento especial a Diretora do Colégio Papa Mike Andreia por juntos darmos início a Escola de Pais nesta cidade tão grandiosa que é Osasco. Meus contatos você encontra @gilsonbiondo ou www.gilsonbiondo.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CONHECENDO MELHOR A SÍNDROME DA ALIENAÇÃO PARENTAL

O QUE ACONTECE DENTRO DA ESCOLA? Seu filho está seguro?